Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

#COP21 Paris

(Quase) tudo sobre a minha participação na 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21) em Paris de 30/nov a 11/dez 2015



Sábado, 12.12.15

Este é um momento decisivo e histórico na #COP21… mas antes vamos almoçar

121215_12h10.jpg

A aguardada sexta sessão do Comité de Paris, que teve início às 11h45, acabou como começou: sem se conhecer (publicamente) o texto negocial final do Acordo de Paris (que já deverá estar consensualizado com todas as Partes). Nada que impedisse as quase 200 delegações de ovacionar os discursos de Laurent Fabius, Ban Ki-moon e François Hollande. Todos salientaram a importância desta última versão do documento, que torna a COP21 num o momento “decisivo” e “histórico”.

Laurent Fabius, o presidente da COP21, recordou todo o trabalho dos últimos anos, desde Durban (2011), saudando particularmente o método de trabalho usado em Paris, em que cada país pôde ser ouvido e compreendido. “Tudo foi feito numa atmosfera construtiva”. Num discurso muito aplaudido, disse que a proposta actual é um texto "ambicioso e equilibrado", que integra os elementos principais de um Acordo diferenciado, justo, durável, dinâmico, equilibrado e legalmente vinculativo.

121215_12h05.jpg

Considera, também, que reflete a justiça climática e as responsabilidades comuns mas diferenciadas; e que confirma o objetivo principal de conseguir um aumento de temperatura bem abaixo de 2ºC em relação á era pré-industrial e tentar o objetivo de 1,5ºC, o que deve tornar possível reduzir os riscos e os impactes das alterações climáticas.

Para o presidente da COP21, o texto reconhece ainda a necessidade de considerar as perdas e danos, dando meios a todos para um desenvolvimento sustentável e o valor de 100 mil milhões de dólares é uma base para depois se aumentar para um nível final maior entre 2020 e 2025. Além disso, contempla que em 2019 todos serão ouvidos para avaliar o objetivo traçado.

121215_12h07.jpg

“Sabíamos que ninguém iria conseguir tudo o que queria. Precisamos de mostrar que o todo é maior do que a soma das ações individuais. Chegou o tempo não haver linhas vermelhas mas sim linhas verdes!”, afirmou. Reforçou, também, que o texto conseguido é "equilibrado, forte, delicado", e deve deixar quem daqui sair de cabeça bem alta a afirmar que conseguiu algo importante. “Vai ajudar países pequenas ilhas ameaçados de submergirem, vai lançar tecnologias e financiamento para África e preservar as florestas da América Latina e do Sul. Vai promover estilos de vida sustentáveis.”

Fabius mencionou ainda que este acordo promove a segurança e a produção alimentar, a saúde pública, combate a pobreza, os direitos essenciais e no fundo, a paz. “Em dezembro de 2015, aqui em Paris, há um certo momento, particularmente na mobilização da sociedade civil. Se falhássemos, como poderíamos reconstruir a credibilidade de multilateraliismo e das negociações internacionais? Somos cidadãos do mundo e as nossas crianças não nos iriam esquecer/perdoar”, disse antes de terminar com duas citações de Nelson Mandela: "tudo parece impossível até ser feito” e “sabemos que nenhum de nós consegue, sozinho, alcançar o sucesso".

121215_12h15.jpg

Por seu lado, Ban Ki-moon, de gravata verde, salientou que “todo o mundo está a ver e que a natureza está a enviar sinais urgentes.” O secretário-geral da ONU considera que a proposta em cima da mesa é “clara, flexível e universal” e avisa que “a perfeição não pode ser inimiga do interesse público”. “As soluções estão em cima da mesa – tenhamos a coragem de as agarrar”, rematou.

Já o presidente francês afirmou que o texto proposto é “ambicioso, mas também realista” e que este é o momento de decidir. “Todos os esforços levam a uma conclusão – o que seria de todo este esforço se não fosse para um acordo ambicioso e legalmente vinculativo? São vocês e apenas vocês que podem tomar esta decisão”, disse.

121215_12h20_Hollande.jpg

Para Hollande, trata-se de fazer “uma escolha pelo mundo” num momento que “será um enorme avanço para a humanidade”. “A história está a fazer-se aqui. Não há adiamento possível. Usem esta oportunidade para mudar o mundo”, apelou, segundos antes de Laurent Fabius informar os delegados e o mundo que o documento ainda "está a ser traduzido" e só será disponibilizado cerca das 13h30 (12h30 em Lisboa). Até lá, o presidente da COP convidou os delegados a irem almoçar e informou que os trabalhos serão retomados às 15h45. (vídeo da sexta sessão do Comité de Paris)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Francisco Ferreira às 12:03




Twitter


calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Posts mais comentados



Arquivo

2015



Mais sobre mim

foto do autor